Por que sentimos dor na barriga?


+A +/- -A
Por que sentimos dor na barriga?
A região abdominal do nosso corpo é a que possui o maior número de órgãos, sendo portanto, mito difícil determinar o motivo da dor nesta região, já que são inúmeras as possibilidades de causas e doenças diferentes. Chega a ser um desafio para o médico determinar as causas da dor abdominal devido a grande quantidade de diagnósticos diferentes possíveis.

Quem nunca sentiu uma dor na barriga? Praticamente todo ser humano já sentiu um dia na vida dores na região abdominal. Normalmente essas dores são benignas e de leve intensidade. Contudo, quando a dor é forte e há outros sintomas associados é necessária avaliação médica.

Todos os órgãos que se encontram dentro da cavidade abdominal e da cavidade pélvica são passíveis de causar dor na barriga. Algumas vezes, órgãos na cavidade torácica também podem causar dor abdominal.

Os órgãos dentro do abdômen (abdome) são:

– Fígado.
– Vesícula biliar.
– Vias biliares.
– Pâncreas.
– Baço.
– Estômago.
– Rins.
– Supra renais.
– Intestino delgado (duodeno, jejuno e íleo).
– Apêndice.
– Intestino grosso.

Os órgãos dentro da pelve são:

– Ovários.
– Trompas.
– Útero.
– Bexiga.
– Próstata.
– Reto e sigmoide (porção final do intestino grosso).

De forma resumida as principais doenças que cursam com dor na barriga são:

1- Gastrite e úlcera péptica

A gastrite, a úlcera de estômago ou a úlcera de duodeno normalmente se apresentam com sintomas semelhantes: uma dor em queimação na região superior do abdômen, principalmente no epigástrio. Esse tipo de dor na barriga é chamado de dispepsia e costuma surgir quando o estômago está vazio. A intensidade da dor é muito variável e não serve para distinguir a úlcera de uma simples gastrite.

A presença de sangue nas fezes ou vômitos com sangue associados a um quadro de dispepsia costumam indicar uma úlcera sangrante. Idosos com dispepsia e anemia sem causa aparente também devem ser investigados para úlceras.

2- Colecistite e pedras na vesícula

A simples presença de pedras na vesícula, chamada de colelitíase, não costuma causar sintomas. A dor abdominal ocorre quando há uma obstrução do ducto de drenagem da vesícula biliar por uma dessas pedras. Se a obstrução for prolongada, surge a colecistite, inflamação da vesícula.

A dor da obstrução da vesícula é chamada de cólica biliar e costuma ser localizada no hipocôndrio direito e epigástrio; é tipicamente uma cólica que surge logo após a ingestão de alimentos gordurosos. A dor da cólica biliar pode irradiar-se para as costas e para o ombro direito.

A cólica biliar simples, sem colecistite, costuma surgir e ser mais forte nas primeiras 2 horas após a última refeição. Quando a dor surge junto com febre e vômitos, e não melhora com o passar das horas, normalmente é um indício da presença de uma colecistite.

3- Pancreatite aguda

A inflamação do pâncreas, chamada de pancreatite aguda, normalmente ocorre em pessoas que abusam de bebidas alcoólicas. A pancreatite aguda costuma surgir de 1 a 3 dias após uma quadro de grande ingestão de álcool, apresentando-se como uma intensa dor em toda região superior do abdômen, incluindo ambos hipocôndrios e epigástrio. A dor da pancreatite aguda dura vários dias, costuma estar acompanhada de vômitos e piora após a alimentação.

4- Hepatite aguda

Hepatite é o termo usado para descrever a inflamação do fígado. As hepatites mais comuns são aquelas causadas pelos vírus A, B ou C, porém, podem surgir por várias outras causas, entre elas por intoxicação medicamentosa ou por álcool.

A hepatite aguda costuma causar uma dor mal definida no hipocôndrio direito e está geralmente associada a presença de icterícia.

5- Pedras nos rins

O cálculo renal costuma se manifestar como uma intensa dor na região lombar, unilateralmente. Frequentemente se irradia para o abdômen, principalmente nos flancos. Se a pedra estiver obstruindo o ureter já próximo a bexiga, a dor pode ser no hipogástrio ou na fossa ilíaca, irradiando-se para a região escrotal.

6- Apendicite

A dor da apendicite costuma ser em crescendo e inicia-se difusamente, principalmente ao redor do umbigo, indo se localizar no quadrante inferior direito do abdômen somente quando se torna mais intensa. É comum haver febre e vômitos associados.

7- Diverticulite

Um divertículo é uma pequena bolsa que se forma na parede do intestino grosso (cólon), semelhante a um dedo de luva, normalmente em pessoas acima de 60 anos. A diverticulite é a inflamação de um divertículo.

A maioria dos divertículos que inflamam estão localizados na porção descendente do cólon, localizado à esquerda no abdômen. Em 70% dos casos a diverticulite se manifesta como uma dor no quadrante inferior esquerdo do abdômen e em pessoas acima de 60 anos. A dor dura vários dias e costuma vir acompanhada de febre.

Quando ocorre inflamação de um divertículo na parte ascendente do intestino grosso (à direita), os sintomas são muito parecidos com os da apendicite.

8- Infecção intestinal e diarreia

As infecções intestinais, sejam por bactérias ou por vírus, são causas comuns de dor abdominal. A manifestação mais comum é cólica abdominal associado a diarreia e/ou vômitos.

Infecções bacterianas graves podem causar diarreia sanguinolenta, um quadro conhecido como disenteria.

As parasitoses intestinais também são causa frequente de dor abdominal, que pode vir associado ou não à diarreia.

9- Cólicas menstruais (dismenorreia)

As cólicas menstruais ocorrem na porção inferior do abdômen, geralmente na linha média, mas podem irradiar-se para as costas e coxas. Sintomas como náuseas, suores, dor de cabeça, fezes amolecidas e tonturas podem estar associados.

Além das causas descritas acima, várias outras também podem causar dor abdominal ou pélvica, entre elas:

– Menstruação (leia: Sua menstruação atrasou? Conheça 15 causas para menstruação atrasada).

– Tumores dos órgãos abdominais ou pélvicos (leia: Conheça mais sobre o câncer).

– Obstrução intestinal.

– Infarto e isquemia intestinal.

– Aneurisma de aorta abdominal.

– Infecção urinária.

– Hérnias.

– Cetoacidose diabética.

– Doença de Crohn e retocolite ulcerativa.

– Doenças do ovário.

– Endometriose.

– Gravidez ectópica.

– Abscesso hepático.

– Anemia falciforme.

– Rins policísticos.


Fonte: http://www.mdsaude.com/2011/02/dor-na-barriga.html

Voltar ao Topo da Página